Show “A História da MPB de 1916 Aos Dias de Hoje”

O Grupo Seresta Moderna Apresenta:


“A História da MPB de 1916 Aos Dias de Hoje” tem um repertório imbatível. O show começa com os melhores momentos da Música Popular Brasileira. Passeia pelos clássicos de décadas em décadas com as pérolas da MPB. Faz um apanhado de tudo que se destacou na história MPB sem deixar ninguém de fora.

O roteiro começa em 1899, com Chiquinha Gonzaga e a primeira marchinha de carnaval composta para um bloco de rua. Em 1916, o primeiro samba oficialmente gravado no país de autoria de Donga e Mauro de Almeida. Passa por “Carinhoso”, de Pixinguinha e Braguinha. Fala do surgimento de Carmem Miranda, em 1930 e exalta a riqueza da composição brasileira naquela década. Primeiro vem os grandes sucessos de Assis Valente, Zequinha de Abreu, Noel Rosa e Ari Barroso e assim segue cantados outros nomes que também se destacaram.

Depois vêm os anos 40, o surgimento de Dorival Caymmi e Ataulfo Alves. Os anos 50, da dor de cotovelo, Lupicínio Rodrigues. O final dos anos 50 o movimento da Bossa Nova de Tom Jobim e Vinícius de Morais. Os anos 60 e o fenômeno Jovem Guarda. Os festivais da canção e o surgimento da geração de Chico, Caetano, Gilberto Gil e Milton Nascimento.

Logo depois os anos 70, o reconhecimento nacional dos compositores, Cartola e Adoniran Barbosa. Em seguida os anos 80, a explosão do rock nacional com a revelação de grandes bandas da geração 80, entre eles Renato Russo. A redescoberta de Tim Maia, os sucessos de Djavan. O Espetáculo agora passeia pelos anos 90 e 2.000. Sucesso de Marisa Monte, musa da a nova musica popular.

A última parte e final do show o grupo canta “Mas que Nada”, de Jorge Benjor, explosão mundial em 2006; uma faixa “autoral do grupo” e “Pela Internet”, de Gilberto Gil para encerrar.

Show no Reino do Rei – Musicas de Roberto Carlos

Seresta Moderna Apresenta:


O espetáculo “No Reino do Rei – Musicas de Roberto Carlos” Entre os vários os espetáculos que o grupo já apresentou destaca-se também: a montagem do show “No Reino do Rei – Musicas de Roberto Carlos”. Nele, o Grupo Seresta Moderna apresenta uma seleção dos maiores sucessos da obra do Rei Roberto Carlos.

Seguindo a mesma linha dos espetáculos anteriores, o grupo faz uma narrativa que liga as letras das musicas ao momento em que o Brasil vivia época que foram gravadas. Um paralelo entre as canções e fatos que marcaram a história do Brasil.

João Francisco Neves


Musico, cantor e compositor. De formação musical autodidata, ainda assim, é um arranjador pratico de muito talento. Nasceu no triângulo de divisas dos estados de Minas, Rio e Espírito Santo. Como tantos outros músicos que começaram suas carreiras no interior, também teve superar muitos obstáculos no inicio.

Aprendeu a tocar violão ouvindo um cego violeiro de três acordes, perto da fazenda de seu avô. Além disso, foi principalmente ouvindo os discos levados pelo seu pai quando ia à cidade.

Aos 18 anos, começou a participar festivais da região da zona da mata mineira, pois, chegou a ganhar vários nesse inicio de carreira. No embalo do sucesso dos festivais, fundou o grupo Trem Elétrico Tá quem Guenta, (Frevo mineiro, uai) num dos melhores carnavais de rua do interior mineiro nos anos 80, com o qual gravou seu primeiro disco. De 1990 a 1994, fez o circuito Rio-Minas com a Banda Geraes no show e disco “Geraes Canta Minas” disco e show elogiado pela crítica e público.

Em 1997, lançou o CD “Estórias de Mato e Cidade”, somente com composições próprias.
Em setembro de 1998, junto com Amarildo Silva e outros músicos mineiros residentes no Rio de Janeiro, criou o projeto Cambada Mineira.

Em 1999, com o projeto já transformado em grupo, gravou o CD “Cambada Mineira”, com composições próprias e releituras de clássicos da musica mineira.

Em janeiro de 2000, em parceria com a Prefeitura de Carangola MG, a jornalista e produtora cultural Raquel Villela, lançou o CD “Canta Carangola”. Com a participação de crianças de primeira à quarta série da zona rural do interior mineiro.

Discografia:

Em 2001, gravou o CD “CAMBADA MINEIRA 2”.

Em 2002, gravou o CD “CAMBADA MINEIRA AO VIVO” que concorreu ao prêmio CARAS de musica.

Em 2004, gravou o CD “PERFIL” com os melhores momentos do CAMBADA MINEIRA.

Em 2006, gravou o CD “MEU RECADO” com o Grupo CAMBADA MINEIRA pela gravadora ROB DIGITAL.
Esse trabalho teve a participações de grandes nomes da MPB como: Wagner Tiso, Toninho Horta, Zé Renato, Vitor Biglione, Marcio Montarroios, Simone Guimarães, Nikolás Krassik, Robertinho Silva entre outros.
O trabalho foi muito bem recebido pela crítica, recebeu elogios de vários jornais e revistas de todo o Brasil.
E ainda, foi escolhido pela Radio CBN como um dos melhores CDs do ano de 2006.

Em 2007, lançou o CD do Trem Elétrico TÁ QUEM GUENTA com o melhor dos 16 anos da história do lendário carnaval do interior mineiro.

Em 2011, lançou o CD “SERESTA MODERNA – A HISTÓRIA DA MPB”. Ainda nesse ano de 2011, com uma nova formação do grupo, fez vários shows na capital do Rio de Janeiro e outras cidades do interior do estado.

Em seguida, excursionou pelo país fazendo shows para divulgar o CD em cidades como: Belo Horizonte, cidades do interior de Minas, São Paulo e Maringá estado do Paraná. Ainda no Paraná, na cidade de Foz do Iguaçu, se apresentou juntamente o grupo na Universidade de Foz de Iguaçu para uma plateia de aproximadamente de 3.000 alunos latinos.

Em 2012, lançou com o grupo CAMBADA MINEIRA o CD e DVD URBANA FANZINE.

Em 2015, lançou o CD mpbDeus – A PALAVRA DE DEUS CANTADA.

Em 2017, lançou o CD mpbDeus – DEUS ENTRE NÓS